¿Qué requisitos de ingreso debés cumplir para poder visitarnos?

¿Cómo está funcionando la ciudad y cuáles son las actividades disponibles a partir de las medidas vigentes?

¿Qué hacer y dónde acudir si tenés síntomas o sos contacto estrecho?



La Flor de Barracas

Um histórico bar que quase se perde e ganhou uma segunda vida.

Interessante o cruzamento das Ruas Suárez e Arcamendia, no bairro de Barracas: numa das esquinas, a Escola Nomal Superior N° 5, Martín Miguel de Güemes, inaugurada em 1909, na outra, o café La Flor de Barracas, veteranos edifícios do bairro.

No final de 2009, uma placa, que na fachada do La Flor de Barracas anunciava a venda em bloco do edifício de dois andares, apareceu como um mau presságio temia-se a demolição. No térreo, com mais de cem anos, funcionava o café.

A Sra. Mercedes Soto, viúva do que esteve à frente por dez lustros, estava cansada. Dom Camilo, o veterano garçom “de sempre”, que acompanhou Mercedes e seu esposo, contava que o café foi chamado La Puñalada e depois Tarzan. “Com a chegada dos três sócios espanhóis foi rebatizado como La Flor de Barracas. Sua época de esplendor foi quando as fábricas vizinhas trabalhavam 24 horas, isso já aconteceu”.

Mas a vida tem suas voltas, e não todas são calamidades: “Renasce La Flor de Barracas, o histórico bar que quase se perde”, anuncia o jornal Clarín em 13 de julho de 2010, para alegria dos moradores e dos portenhos em geral. “A historia de um “bar reo” no Sul que ganhou uma inesperada segunda vida”, dizia Sergio Kiernan no jornal Página 12.

María Victoria Oyhanarte, a nova dona, comentava: “O que andava buscando era fazer um investimento, e alguns amigos me falaram do Barracas”. Enamorei-me do bairro, do céu, das
Ruas e das casas”. Um dia descobriu que “La Flor” estava à venda e a comprou. Decidiu manter o café e realizou uma restauração muito destacada. “Não quis fechar e deixar aos moradores sem o seu “cafetín”, e até Mercedes me agradeceu”, lembra. Então se tratou de que tudo estivesse como há 113 anos, até a latrina do banheiro de homens.

 

 

SUAREZ AV. 2095

4302 7924

Pátio de los Lecheros

O Patio de los Lecheros foi a estação de trem na qual, durante anos, chegou a produção das leiterias do interior do país.

12 de Octubre (Bar de Roberto)

Existe desde o final do século XIX como armazém.

36 Billares

Um lugar emblemático da Buenos Aires do século XIX.

Angelín

Com pouca variedade de sabores e ótima fainá, funciona desde 1938.

Babieca

Um restaurante tradicional, bem concorrido pelo público LGBT à meia-noite.

Banchero

Seu nome se associa a criação da fugazzeta.

Bar Britânico

Este mítico bar que abriu em 1928 deve seu nome aos ex-combatentes ingleses.

Bar de Cao

Este tradicional bar do bairro de San Cristóbal reabriu suas portas em 2005.

Bar del Hotel Alvear

Um lugar tradicional, elegante e distinguido de Buenos Aires.

Bar El Colonial

Este edifício conserva alguns ladrilhos da época colonial, feitos com barro e palha secados no forno.

Bar El Estaño

Este é um café e restaurante do bairro de La Boca desde 1880.

Bar El Federal

O edifício onde se encontra o El Federal, no coração do San Telmo, data do século XIX