El Vesuvio

Foi fundada em 1902 por um casal de imigrantes italianos.

O Vesuvio, a primeira sorveteria do país, fundada em 1902 por um casal de imigrantes italianos, os Cocitore, atualmente continua funcionando em Corrientes 1181.
Foi declarado pela Legislatura da Cidade Autónoma de Buenos Aires, lugar de Interesse Cultural por sua contribuição à identidade portenha desde 1902.
A família Cocitore, que introduziu no país a primeira máquina manual para fabricar sorvetes, inaugurava no começo do século a que se transformaria na célebre sorveteria El Vesuvio, a primeira da Argentina. Duas pessoas deviam operar a manivela do grande cilindro de cobre que, rodeado de gelo e sal, prescindia da energia elétrica para fabricar gostosos sorvetes. Em 1920, para assegurar a atividade do local durante o ano todo, ampliaram o item à confeitaria, servindo chocolate com churros e uma saborosa pastelaria.
Frequentavam o local – localizado a poucos metros do Obelisco- personagens famosos, como Carlos Gardel, Juan Manuel Fangio, Alfredo Palacios, Luis Sandrini e Jorge Luis Borges, dentre muitos outros. E Astor Piazzola, com a poesia de Horacio Ferrer, consagrou com o tango La última grela sua homenagem a El Vesuvio.
Atualmente o lugar é sede de múltiplas atividades culturais: Exposições plásticas, apresentações de livros, homenagens, que adicionam um atrativo ainda maior à sua oferta comercial e o promovem como um espaço de referência à cultural portenha para moradores e turistas.
Hoje, transcorridos mais de um século da abertura, e apesar das tecnologias modernas, seus donos são felizes por seguir elaborando um sorvete artesanal.
Os sabores preferidos: Doce de leite sozinho ou com merengue, chocolate com laranja, creme Vesuvio, super sambayón, baunilha.

 

 

CORRIENTES AV. 1187