Praça de Mayo e Casco Histórico

Endereço

BOLIVAR 1

Como toda grande capital latino-americana, a Cidade de Buenos Aires conta com um importante e rico acervo histórico que se reflete em seus edifícios e monumentos. Um claro exemplo disto é a Praça de Mayo, centro dos acontecimentos políticos mais importantes da história argentina. Seu nome é uma homenagem a Revolução de 25 de Maio de 1810, que ocorreu nesta mesma praça e que deu início ao processo da Independência da Argentina.

Ao redor da Plaza de Mayo estão localizados vários edifícios históricos e governamentais: o Cabildo, a Catedral Metropolitana (onde oficiou missa o Papa Francisco durante mais de 20 anos), a Casa de Governo (conhecida também como Casa Rosada, sede do Governo Nacional), o Palácio do Governo da Cidade, além das sedes dos principais bancos e ministérios. No centro da praça se encontra a Pirâmide de Mayo, construída para celebrar o centenário de la Revolução, em 1910.

A Av. de Mayo, de arquitetura marcadamente madrilenha, é uma das mais antigas e importantes da Cidade. Une a Casa Rosada com o Congresso Nacional e abriga a histórica Plaza de Mayo. Ali se encontram o Pasaje (passagem) Roverano, construído em 1878, a Casa da Cultura da Cidade (ex Diario La Prensa), o Palacio Vera, edifício estilo art nouveau construído em 1910, com suas linhas curvas e vidros biselados, o Palácio Urquiza Anchorena, a Academia Nacional de Tango, criada em 1990 e presidida pelo poeta e letrista Horacio Ferrer. Outros pontos de interesse são o legendário Café Tortoni, o Club Espanhol, fiel expoente da arquitetura eclética da América, o Monumento al Quijote (Dom Quixote), obra do escultor andaluz Aurelio Teno e o tradicional Hotel Castelar, que foi frequentado por figuras como Federico García Lorca, Jorge Luis Borges, Norah Lange, Oliverio Girondo, Emilio Pettoruti e Lino Spilimbergo.

Em seu caminho também se encontram o Teatro Avenida, inaugurado em 1908, o Ex Hotel Majestic, originariamente concebido como edifício para escritórios, mas que em seguida foi transformado em um dos hotéis mais exclusivos de Buenos Aires, o Hotel Chile, expoente do estilo art nouveau, obra do arquiteto francês Luis Dubois, o Edifício ex Diario Crítica, de estilo art decô, sede do jornal fundado em 1913 pelo jornalista uruguaio Natalio Botana. Outra obra atrativa e imponente é o Palácio Barolo; também se destacam obras arquitetônicas como o Edifício La Inmobiliaria, do ano 1910, obra do arquiteto italiano Luis Broggi, a Praça Lorea e o magnífico edifício do Congresso Nacional Argentino.

O Casco Histórico da Cidade conta com boa parte dos edifícios da Antiga Buenos Aires, entre os bairros San Telmo e Monserrat. Os mais destacados são o Monumento Julio A.Roca , Presidente da Nação em dois períodos e célebre por ter comandado a campanha militar conhecida como "La Conquista del Desierto” (A Conquista do Deserto). Também vale a pena visitar o Palácio da Legislatura e a Manzana de las Luces, um quarteirão histórico que se encontra rodeado pelas calles (ruas) Bolívar, Moreno, Alsina, Peru e Avenida Julio A. Roca. Nela estão localizados o Colégio Nacional de Buenos Aires, a Igreja de San Ignacio, o antigo edifício da Universidade de Buenos Aires e alguns edifícios históricos.

Outros lugares interessantes: o tradicional Café El Querandí, a Livraria Ávila (Ex Livraria do Colégio), o Museu da Cidade, a Casa de María Josefa Ezcurra, cunhada de Juan Manuel de Rosas, Governador de Buenos Aires de 1829 a 1832 e de 1835 a 1852, La Puerto Rico, Bares Notáveis fundado em 1887, la Farmácia La Estrella, uma das mais antigas que ainda conserva seus móveis e murais originais, os Altos de Elorriaga, uma das primeiras construções da Cidade em contar com dois andares e a mais antiga deste tipo que ainda se preserva.

A Plazoleta (Pracinha) San Francisco, a Igreja e Convento de San Francisco e a Capilla San Roque, cuja ordem foi a primeira em se estabelecer na Cidade de Buenos Aires, o Museu Etnográfico Juan B.Ambrosetti, a Basílica de Nuestra Señora del Rosario e Convento de Santo Domingo , assim como o Centro Cultural Plaza Defensa, que depende do Governo da Cidade e onde acontecem diversas atividades culturais de música, teatro, cinema e dança.

A Casa del Virrey Liniers,  que foi a residência do penúltimo Vice-Rei do Rio da Prata, onde foram tratados os termos da capitulação do general inglês William Beresford, após a falida invasão de 1806, a Casa Noccetti (Ex Ferretería Hirsch), típico expoente da arquitetura industrial do final do século XIX, quase totalmente em ferro, a ex sede da Biblioteca Nacional e a ex Casa da Moeda.