Cemitério da Recoleta

Um passeio pelo Cemitério da Recoleta

Endereço

JUNIN 1760

O Cemitério do Recoleta, localizado no exclusivo bairro da Recoleta, deve seu nome ao convento dos monges recoletos que pertencia a vizinha Basílica de Nuestra Señora del Pilar; na antiga horta dos monges foi contruído o cemitério.

Os numerosos e imponentes mausoléus e abóbadas, que pertencem a muitos dos principais protagonistas da história argentina, como Eva Perón (Evita), uma das sepulturas mais visitadas, são o motivo do grande número de visitas que o Cemitério recebe. O grande valor arquitetônico é uma amostra dos tempos em que o país era uma potência econômica emergente e as principais famílias da cidade disputavam o lugar do maior e melhor túmulo, trazendo arquitetos renomados e materiais de fora do país para sua construção. Muitas das abóbadas e mausoléus estão adornados com mármores e esculturas; mais de 90 abóbadas foram declaradas Monumento Histórico Nacional.

Foi construído em 1822 como o primeiro cemitério público da cidade e seu traçado é obra do engenheiro francês Próspero Catelin. No final do século XIX, quando as famílias mais abastadas começaram a se mudar para esta zona da cidade, passou a ser sua necrópole preferida. Recentemente, o Governo da cidade realizou uma restauração da entrada para recuperar seu design e características originais. Entre as várias personalidades enterradas figuram líderes políticos, presidentes, escritores, Prêmios Nobel, esportistas e empresários.

Curiosidades

O Cemitério do Recoleta encerra muitas histórias curiosas em seus mausoléus. Como a de Liliana Crociati, que faleceu durante sua lua de mel e a quem os pais construíram uma abóbada onde reproduziram o dormitório dela e colocaram sua escultura na entrada, luzindo seu vestido de noiva com o qual foi sepultada, acompanhada por seu inseparável cachorrinho. Ou a de David Alleno, cuidador do cemitério, o qual economizou toda sua vida para poder, ele mesmo, construir seu próprio sepulcro.

Conheça todas as atividades culturais da cidade na Agenda Cultural.