Casa Rosada

Ocupa o espaço onde foi construído o Forte de Buenos Aires em 1580.

Este palácio, sede do Governo Nacional, ocupa o espaço onde foi construído o Forte de Buenos Aires em 1580. Foi residência de Vice-reis espanhóis e após abrigou, com poucas restaurações, às autoridades dos sucessivos governos pátrios.

Passou ao esquecimento por tempo, mas recuperou protagonismo como sede do governo político a partir de 1862, quando Bartolomé Mitre se instalou ali com seus ministros, revitalizando a antiga residência oficial do forte. Seu sucessor, Domingo Faustino Sarmiento, decidiu embelezar a sede do Poder Executivo Nacional, dotando-a de jardins e pintando-a de rosado, e então com o tempo passou a ser chamada de Casa Rosada.

Ainda, durante a presidência de Sarmiento foi projetado o primeiro Palácio dos Correios, no espaço sul do terreno que ficou libre pela demolição do forte, que foi completada em 1878 e foi inaugurado pelo Presidente Nicolás Avellaneda em 1879.

O Palácio dos Correios ocupava sensivelmente a sede do governo, motivo pelo qual o presidente Julio Argentino Roca solicitou em 1882 um projeto de reparações e ampliação. O edifício atual é o resultado da fusão de duas construções anteriores: o Palácio dos Correios, na esquina das ruas (calles) Hipólito Yrigoyen e Balcarce e a sede presidencial. Para uni-los, o arquiteto italiano Francisco Tamburini, responsável pelo projeto original do Teatro Colón) projetou um grande arco central na entrada de Balcarce, 50, cuja construção foi finalizada por volta de 1890. Isto marcou o fim do que sobrava do antigo Forte, preservando-se alguns muros e uma fenda que pode ser vista no atual Museu do Bicentenário.

Visitas guiadas

Nos finais de semana a Casa Rosada oferece visitas guiadas, libres e francas. Os visitantes têm acesso aos pórticos de Balcarce, 50 e no saguão de entrada se pode ver o Salão dos Patriotas, onde estão expostos pinturas e retratos de próceres latino-americanos. No primeiro andar, após subir pelas imponentes escadarias de mármore, chega-se ao Salão Mulheres Argentinas do Bicentenário. O Salão Branco, por onde desfilaram importantes personalidades da história argentina, a sala presidencial e o Salão Sul. Um momento imperdível da visita é sair na emblemática sacada da Praça de Mayo, testemunha de históricos momentos da Argentina.

Curiosidades

  • Sáenz Peña foi o único presidente que residiu na Casa, entre 1910 e 1914.
  • No Salão Branco aconteciam os banquetes nos quais eram servidos até doze pratos diferentes e o cardápio era apresentado em francês. A baixela de porcelana, a prataria e os cristais também eram inglesas e francesas.
  • Ainda estão ali as palmeiras africanas do Pátio homónimo que foram plantadas no final do século, quando foi afrancesada a construção e que lhe deu um toque exótico e peculiar.