Caminito

Com seus cortiços de zinco, que são o retrato de La Boca

Endereço

VALLE IBERLUCEA del, Dr. y MAGALLANES

O Caminito é um dos passeios mais emblemáticos da Cidade e dos atrativos imperdíveis para os que o visitam. No bairro de La Boca, os “conventillos” (cortiços) típicos com paredes de zinco pintadas de várias cores, contam a história de uma época em que as famílias originais fugiram da região por conta da epidemia de tifo, mudando-se paa a parte alta da cidade, deixando suas mansões quase abandonadas, alugadas para os imigrantes que desembarcavam no porto. É também um museu a céu aberto de quase 150 metros de comprimento. Seu traçado sinuoso se deve a que segue o curso de um córrego que passava por ali até o começo do século XX. A zona era conhecida popularmente como "Puntin", diminutivo de "ponte" em dialeto genovês. 

Durante muito tempo formou parte do percurso da estrada de ferro até a Ensenada, que está a uma hora de Buenos Aires, até que em 1928 o ramal foi fechado e transformado num beco abandonado. Foi graças a iniciativa de vários moradores, entre os quais se encontrava o pintor Benito Quinquela Martín, um dos principais benfeitores do bairro e cuja obra se comemora através do colorido das casas do La Boca, que nos anos de 1950 foi recuperado o terreno para convertê-lo em um calçadão-museu, no qual aos poucos foram denso adicionadas obras de diferentes artistas. Em 1959, por iniciativa de Quinquela Martí, o lugar foi batizado como nome do célebre tango “Caminito”, composto por Juan de Dios Filiberto e Gabino Coria Peñaloza e que teve sua estréia nos “carnavais” de 1926. 

Na  “Feria de Artistas Plásticos de Caminito” você encontra artistas contemporâneos com uma destacada trajetória que expõem e vendem suas obras  inspiradas no colorido entorno e no sentir "tangueiro". Funciona diariamente das  11 às 18 horas (inverno) e das 11 às 20 horas (verão). 

Curiosidades

A letra do tango “Caminito”, composta por Gabino Coria Peñaloza, foi originalmente um poema escrito pelo mesmo autor em 1903, em homenagem a uma trilha da localidade de Olta, na província de La Rioja, região noroeste da Argentina.