Por que conhecer Tigre?
Perto de Buenos Aires, existe uma alternativa perfeita para se desligar da cidade e se conectar com a natureza. Em Tigre, você entrará em um mundo de ilhas, infinitos canais, arroios e rios.

Buenos Aires é uma cidade intensa, viva e energética. Se sente no ar, se escuta em suas ruas, se evidencia em sua agenda non-stop. Mas o mais interessante de seu perfil multifacetado é que está rodeada de paisagens que nada tem a ver com o caráter urbano desta grande metrópole. A somente 32 km do centro da cidade, a uma hora em trem (desde o terminal ferroviário Retiro), existe um lugar chamado Tigre, onde casarões coloniais, aristocráticos clubes de remos, centenas de locais de artesanatos e uma estação fluvial estão abundantes de onde se chega a um mundo natural inigualável: o Delta do Rio Paraná.

Compras em um Porto de Frutos

Por mais que seu nome remete ao seu uso anterior (até meados do século XX desembarcava ali a produção frutal do Delta do Paraná, que depois era comercializado na cidade de Buenos Aires), o atual Porto de Frutos é um mercado ao ar livre onde se podem encontrar móveis, adornos e artigos para a casa, acessórios fabricados em cana e vime, produtos de selaria, deliciosos doces e méis caseiros, flores e, claro, uma grande variedade de frutas locais. Também ali é possível almoçar ou sair de excursão pelo Delta.

Recomendamos visitá-lo durante a semana, já que os sábados, domingos e feriados é um ponto bem frequentado.
 

Sair para remar

Você se emociona com a ideia de remar em um barco pelos escondidos canais de Tigre? Se você quer incluir atividades esportivas em sua visita, há que considerar que este é um dos melhores lugares para praticar remo, tanto durante o dia como sob a luz da lua. A metros da estação de trem, em ambos os lados do rio Luján se erguem belíssimos clubes de remo, que surgiram no final do século XIX quando as comunidades europeias imigrantes foram se organizando em distintas associações, tais como o Club de Regatas Hispano Argentino, Rowing Club e Club Suizo, para nomear alguns.

 

Passeio Victorica e Museu de Arte de Tigre

Um dos circuitos mais pitorescos da zona é o Passeio Victoria, com suas ruas sinuosas que beiram o rio, em pleno centro de Tigre. O mais recomendável é transitá-lo a pé para aproveitar a sombra de suas árvores, observar as fachadas de suas antigas casas, parar para comer algo ou tirar fotos de suas pontes. Já chegando ao final do passeio, você irá se surpreender com o Museu de Arte de Tigre, cuja majestosa construção é uma magnífica peça da belle époque argentina. Ali você poderá conhecer a coleção estável de arte figurativa argentina de um acervo do final do século XIX até metade do século XX.   

Entre no mistério do Delta

Por último, mas não menos importante, a jóia de Tigre: o Delta do Paraná, o quinto maior do mundo e o único que desemboca em um curso de água doce. Na Estação Fluvial você poderá subir a alguma lancha coletiva (o transporte mais utilizado pelos moradores, garantia de uma experiência 100% local) ou um catamarã turístico, que levarão por seus rios e onde você descobrirá um estilo de vida completamente distinto. 

 Você está pronto para esta aventura?