Parrillas de Buenos Aires
Se você chegou a Buenos Aires e deseja provar sua famosa carne, escolha alguma das “parrillas” da cidade e vá em frente!

Sem dúvida alguma, a carne é a protagonista da gastronomia argentina, onde cada pessoa consome uma média de 50 kg por ano. Por isso, a maioria dos turistas que chega à Buenos Aires procura as melhores “parrillas” para saciar a sua curiosidade e seu estômago.
Atualmente, as “parrillas” tradicionais convivem pacificamente com as mais modernas. Como reconhecê-las? As primeiras continuam com seus “braseritos” (pequenas “parrillitas” que vão à mesa para manter a carne quente) carregados dos tradicionais cortes de carne. As segundas apresentam outros cortes de carne não tradicionais, como o “asado” e o “vacío”. Hoje em dia, o “ojo de bife”, a “entraña”, a “tapa de bife ancho” e a “tapa de cuadril” são presenças constantes nos cardápios das “parrillas”. Elas continuam evoluindo e representam um dos ícones mais fortes da gastronomia argentina, tanto para os próprios argentinos como para o mundo.

Cortes de carne na Argentina

É importante saber que os cortes de carne bovina na Argentina são muito diferentes aos dos outros países e que estes dependem do gosto e do bolso do consumidor, já que há alguns mais caros que outros.

O "parrillero" ou "asador"

Assim como o chef é o segredo de qualquer restaurante, no caso das “parrillas” o “asador” é o protagonista. É ele o encarregado de preparar o “asado” (churrasco), sendo autodidata ou profissional, é o responsável pelo ponto de cozimento correto da carne, para que esta não asse rápido demais e fique cozida por fora, porém muito crua por dentro. De qualquer forma, cada cliente é diferente e preferem a carne de diferentes maneiras, mais ou menos cozida, com mais ou menos tempo “nas brasas”. O “asado” é preparado dispondo inicialmente a parte mais gordurosa da carne para baixo (de cara com o braseiro); se tiver osso, este vai para baixo. Geralmente o acompanhamento será salada ou batatas fritas.

Glossário de Carnes e Miúdos ("achuras")

  • Asado de tira – costelinha, cortada duas vezes em cruz, a 2 cm do osso; estilo “banderita”
  • Asado americano – corte estreito, ao longo do osso, em tiras de 3 cm
  • Bife ancho – bife de costela sem osso, com a melhor parte da carne
  • Bife angosto – tira de bife de lombo; sem osso é o famoso “bife de chorizo”
  • Bife de chorizo corte mariposa – bife largo, do lombo, sem osso, corte borboleta
  • Bife con lomo – tira de bife de mignon, no final do T-bone
  • Bola de lomo – parte que cobre o fêmur ao longo da barriga; muito usado para fazer as famosas milanesas portenhas
  • Colita de cuadril – carne saborosa, retirada do rabo, firme e consistente 
  • Cuadrada – antes do pescoço, do lado de fora é retirada esta porção de carne, também usada nas milanesas
  • Cuadril – uma bola grande de carne com o rabo, retirada do quadril
  • Entraña – fraldinha
  • Lomo –filet mignon
  • Marucha – corte do final da costela, com a consistência parecida com a capa de costela, pouca gordura e ainda que não seja tão macia, é um corte muito procurado
  • Matambre – a capa da costela recheada; é um prato típico da culinária argentina.
  • Minibeef or baby beef – a versão aumentada do “bife de chorizo”
  • Nalga – traseiro; corte sem osso e sem gordura, que possibilita cortar bifes finos, perfeitos para as milanesas
  • Ojo de bife – o miolo dos bifes de costela sem osso; carne saborosa e muito macia
  • Peceto – lagarto
  • Picanha – corte “roubado” do Brasil
  • Tapa de asado – corte fino, consistente e saboroso, porém não muito macio
  • Vacío – corte entre a costela e a pata traseira
  • Criadillas – testículos de boi
  • Chorizo fresco – linguiça com temperos mais picantes que os do Brasil
  • Salchichas parrilleras – linguiça fina, com 80% ou 100% de carne de porco
  • Morcilla – linguiça cozida, recheada com sangue coagulado, bacon, temperos
  • Mollejas – pâncreas
  • Chinchulines – intestino delgado
  • Riñones – rim

Tenha em conta de que tudo é delicioso, ainda que pareça muito diferente. Sugestões imperdíveis: ojo de bife, asado de tira, vacío, entraña, mollejas (estas ficam deliciosas com limão).

Talvez você possa se interessar pelo nosso artigo sobre O “asado” um ritual que define os portenhos.

Abaixo estão algumas das várias opções de "parrillas" para que você experimente esta típica delícia argentina. Aproveite!

Besares Parrilla Urbana

A grande parrilla a vista e iluminada é a protagonista do salão.

Cabaña Las Lilas

Carne de primera calidad y gran selección de vinos para acompañarla.

Club El Don

Além dos cortes de carne tradicionais, oferece muito boas entradas.

Don Julio

Ficou em 21o lugar entre os “50 Best Latin America’s Restaurants” em 2016.

Don Zoilo

Pratos abundantes e garçons especializados que sabem orientar o cliente.

El Desnivel

É o clássico bodegón com parrilla de bairro: familiar e barulhento.

El Ferroviario

Tem porções muito abundantes a preços lógicos.

El Mirasol de Boedo

Um histórico restaurante que abriu filiais em outros bairros.

El Obrero

No começo do século XX, os operários imigrantes podiam comer ali com preços acessíveis.

El Pobre Luis

Criada por um uruguaio, oferece especialidades de seu país como as pamplonas.

Estilo Campo

Para se sentir em uma fazenda com vista ao rio.

Gran Parrilla Crámer

Suas provoletas e variedades de espetos se destacam.