Dia 5 | Uma semana em Buenos Aires
Plaza Cortázar. Palermo. Mercado de Pulgas. Belgrano. Bairro Chino.

 Manhã

Começamos nosso quinto dia no bairro de Palermo, na praça Julio Cortázar (ex Praça Serrano), num horário calmo. Nesta região encontramos lojas de design, restaurantes gourmets, bares vanguardistas e lugares com terraços para aproveitar o café da manhã. Também a Praça Armenia, com seus bares, restaurantes e um carrossel para as crianças.

É possível perder-se pelas ruas e encontrar grafites de artistas como Soria, Santa Rosa e Russell. Pertinho está a Rua Borges, uma homenagem ao escritor que morava por ali e que escreveu: "Una manzana entera pero en mitad del campo, expuesta a las auroras, lluvias y sudestadas. La manzana pareja persiste en mi barrio, Guatemala, Serrano y Paraguay."

Meio Dia

Seguimos pela Rua Honduras e pegamos o ônibus da linha 39, até a Av. Córdoba esquina com Rua Ravignani, chegando no Mercado de Pulgas. Nesta grande feira de antiguidades é possível encontrar desde móveis até discos originais de Carlos Gardel por um bom preço. Pertinho está a Praça Mafalda, com lugares para sentar e descansar e pinturas que contam um pouco da história criada pelo cartunista Quino. 

Para o almoço temos diversas opções: cozinha argentina no Las Cabras (Rua Fitz Roy, 1795), macrobiótica em Ohsawa (Rua Honduras, 5900), vegetariana no BA Verde (Rua Gorriti, 5657) ou hambúrgueres no Pérez H (Rua Honduras, 5509).  

Tarde

Na esquina da Av. Córdoba e Rua Arévalo podemos pegar o ônibus da linha 168 para o bairro de Belgrado. Em 30 minutos chegamos na emblemática esquina da Av. Cabildo com Rua Juramento, lugar que nasceu como uma zona de casas de fim de semana e que ainda hoje conserva os morros verdes, as mansões luxuosas e as galerias.

Há vários atrativos na região: a igreja redonda Paróquia de la Inmaculada Concepción (Rua Vuelta de Obligado, 2042), na frente da Praça Manuel Belgrano (esquina da Rua Cuba com a Av. Juramento); o Museu de Arte española Enrique Larreta (Av. Juramento, 2291); o shopping Solar de la Abadía (Av. Luis María Campos 1426), uma boa opção para compras. Ao cair a tarde vamos para as Barrancas de Belgrano, uma praça para descansar e, quem sabe, seguir a tradição portenha de tomar um mate.    

Noite

Na frente das Barrancas de Belgrano, no cruzamenteo entre as Ruas Juramento e Arribeños, começa o Bairro Chinês, lugar onde está a comunidade taiwanesa dos anos 80, e que hoje é um pólo de restaurantes, supermercados, templos budistas e negócios dessa comunidade. Aqui encontramos muitos produtos e acessórios da cultura oriental, além de opções excelentes para jantar, como o Lai-Lai (Rua Arribeños, 2168); o Palitos (Rua Arribeños, 2245); o Hong-Kong Style, de culinária cantonesa (Rua Montañeses, 2149); o Lotus Neo-Thai, de culinária tailandesa (Rua Arribeños, 2265); o Nobiru, de culinária japonesa (Rua Mendoza, 1627).

 

 

« dia 4 | dia 6 »