Dia 2 | Uma semana em Buenos Aires
Plaza de Mayo. Obelisco. Plaza San Martín. Pizza e teatro.

Manhã

Começamos nosso segundo dia na frente do Palacio del Congreso de la Nación, sede do Poder Legislativo, no início da Av. de Mayo, que continua até a Casa de Governo, unindo dois dos três poderes da República. A arquitetura destes quarteirões é surpreendente: a cúpula do edifício da La Inmobiliaria; o Palácio Barolo, que simboliza a Divina Comédia de Dante Alighieri; o mítico Café Tortoni, com mesas de mármore e espírito tangueiro; e por último a Passagem Roverano, a antiga galeria onde o Papa Francisco cortava o cabelo. 

Finalmente chegamos na Praça de Mayo, o cenário de múltiplos episódios históricos da cidade. Aqui estão a Casa Rosada, sede do Poder Executivo; o Cabildo, lugar do primeiro governo do país; e a Catedral Metropolitana

Meio dia

Do meio da praça caminhamos três quarteirões até o calçadão da Rua Florida, 165, entre as Ruas Perón e Mitre, para chegar na  Galería Güemes, um edifício Art Nouveau com uma das melhores vistas panorâmicas da cidade. Entre muitos dos seus restaurantes, escolhemos algum para almoçar e depois continuar o nosso passeio. Continuamos pela Florida, onde as lojas oferecem uma variedade enorme de produtos. Na esquina da Av. Córdoba nos encontramos com Galerías Pacífico, um shopping elegante e também um centro artístico. Viramos à esquerda até a  Av. 9 de Julio, a mais larga do mundo, onde está o famoso Obelisco, com seus 67,5 metros e que visitaremos logo. Atravessamos a Av. 9 de Julio e vemos o  Teatro Colón, um dos teatros líricos mais importantes do mundo, que pode ser visitado todos os dias do ano. Na frente do teatro está o Palacio de Tribunales, sede do Poder Judiciário e um exemplo imponente da arquitetura francesa.

Tarde

Pegamos o ônibus da linha 5 na esquina da Rua Libertad com a Av. Córdoba e em 10 minutos estamos na esquina da Rua Maipú com a Av. Santa Fe, chegando ao nosso próximo destino, a Praça San Martín, um espaço verde e luxuoso em Retiro. Aqui está a Torre Monumental, um presente dos ingleses pelo centenário, e o Cenotafio a los Caídos de Malvinas. Em seguida, o edifício Kavanagh, que foi o mais alto da sua época.   

Noite

Cai o sol e estamos caminhando pela Av. Leandro N. Alem sentido sul. São 7 quarteirões até a Av. Corrientes, famosa por seus teatros e pela atividade noturna. Começa no Luna Park, templo do boxe; possui reconhecidas pizzarias, onde paramos para comer. Algumas das alternativas são El Palacio de la Pizza (Av. Corrientes, 751), Las Cuartetas (Av. Corrientes. 838), La Rey (Av. Corrientes. 961), Banchero (Av. Corrientes, 1300), Güerrín (Av. Corrientes, 1368), Los Inmortales (Av. Corrientes, 1369) ou El Cuartito (Rua Talcahuano, 937).

Para o teatro recomendamos comprar as entradas com antecedência, se bem que há muitos espetáculos que começam durante a noite, o que ajuda muito a não ficar sem alternativas.  

Visitas guiadas gratuitas:
- Todas as segundas-feiras acontecem as visitas a la Plaza de Mayo, organizadas pelo Ente de Turismo da Cidade.
- Nos sábados, domingos e feriados pode-se visitar la Casa Rosada.
- Uma sexta-feira por mês o Ente de Turismo da Cidade organiza visitas guiadas noturnas pela Av. Corrientes.
 
Dado útil
No "Tickets", ponto de venda de entradas para os espetáculos teatrais e musicais, é possível conseguí-las pela metade do preço. O endereço é na Rua Cerrito esquina com a Av. Roque Sáenz Peña (conhecida como Diagonal Norte), na frente do Obelisco; abre de quarta a sábado. Mais info

Tenha em conta: 

Alguns pontos do trajeto que merecem atenção:
- entre as Ruas Perú, Moreno, Bolívar e Alsina está a "Manzana de las Luces" (Quarteirão das Luzes), uma das mais antigas da cidade, onde estão a Igreja de Santo Inácio de Loyola e o famoso Colégio Nacional Buenos Aires, lugar usado como quartel durante as invasões inglesas.
- na Rua Alsina está a Basílica de São Francisco, da ordem sacerdotal do Papa
- na Rua Defensa ainda existe, desde 1895, a famosa Farmácia La Estrella, que agora faz parte do Museu da Cidade.

 

« día 1 | día 3 »