A partir do 20 de Março do 2020 e pelo Decreto 297/20 todo o pais ingreso num período de

isolamento social, preventivo e obrigatório.

¿Qué significa?

Você não pode sair da casa ou alojamento na cidade apenas para se fornecer dos artigos

essenciais como alimentos, artigos de limpeza e medicamentos.

Se você não cumpre as normas, comete um delito.


No caso de ter viajado para um pais onde o virus circula ou tiveste contato com

pessoa doente, você deve ficar por 14 dias isolado.

Se você tambem tiver algum dos sintomas, ligue gratis à 107.


Para mais informações, por favor envie um e-mail para turismo@buenosaires.gob.ar

Degustando às cegas: uma experiência de um teatro gourmet às escuras em Buenos Aires
Não existem imagens para representar esta experiência. Literalmente não existem. Somente resta vivê-la.

No lobby do Teatro Ciego (Cego) de Buenos Aires no bairro de Palermo com fotografias de Borges, Stevie Wonder e Ray Charles nas paredes, a audiência termina a sua taça de vinho enquanto um ator tenta nos preparar para o que virá, mas ele sabe que não importa o quão claro que ele fale, nada irá completamente nos precaver para a experiência de caminhar a uma sala para jantar em total escuridão.

Entrar no vazio como um trem, segurando os ombros uns dos outros, hesitando os nossos passos enquanto coisas passam por nós. Desorientados, somos guiados para os nossos lugares pelos próprios atores. No completo escuro, nós seguramos a parte de trás de nossas cadeiras esperando os atores nos ajudar a sentar, com medo de cair no nada, caso nos desprendemos. Diversos pensamentos começam a surgir: Será que devo fechar os meus olhos ou mantê-los abertos? E onde estão as pessoas com quem vim? Oposto de mim? Do meu lado? No outro lado da sala?

Teatro dos sensos

O Gourmet a cegas é uma proposta única; um banquete para todos os sentidos, menos um: uma janta seguida por uma comédia musical original escrita por um dos próprios diretores da cooperativa independente do teatro e atuada principalmente por atores cegos, tudo na mais completa escuridão. A proposta se provou ser tão intrigante que já acontece por dez anos, tornando a mais longa peça do teatro - também oferece propostas de peças para crianças e ciclos de música com 360º de som que é impressionante em outra filial na região de Abasto. Os atores têm métodos diferentes para aprender, enquanto alguns lêem os roteiros em braile, outros usam gravações e, muitos trabalham no teatro por muito tempo.

“Você está aí? Sim, onde está você?”

Os convidados começam a tentar localizar as pessoas com quem foram. Alguns aumentam as suas vozes, talvez porque no escuro, você não consegue dizer o quão longe os seus companheiros estão. “Alguma coisa me tocou!”, uma menina grita e seus amigos começam a rir.

Uma sensação de amplitude

“Você não sabe o que irá acontecer; as pessoas reagem de formas diferentes,” afirma o diretor da peça Estéban Fiocca. “Tem a ver com se sentir ridículo nesta posição que se transforma em algo divertido e em uma experiência de prazer. O escuro produz uma sensação de amplitude e no escuro a gente começa a falar mais alto e com todo mundo. A reação natural é buscar uma fonte de luz e quando alguém não encontra nenhuma, há pessoas que começam a mexer as pernas. Sempre a cada duas ou três funções há alguém que tem que sair porque fica nervoso. O cérebro joga muito aqui e temos uma solução. Você não sabe o que vai acontecer.”

“O que você acha que o segundo item é?”

Somente então que eu me dou conta que a janta já começou e já deveríamos estar comendo. Eu estava esperando alguma outra instrução, mas nos falaram antes de entrar que a janta consiste em sete estágios, já prontos na mesa organizada, de esquerda para direita, sendo que o último é a sobremesa (“então se a primeira coisa que você come é doce significa que você pegou a sobremesa do seu vizinho”). Você tem que pegar e achar a comida, como também o seu copo, guardanapo e pão. Tudo é comido com a mão.

Um caos de sensações

O próprio show começa com um redemoinho de sons e outros efeitos, criando, às vezes, imagens muito vivas das cenas retratadas. Escutar uma estória sem imagens, mas com palavras, cheiros, toques e outros efeitos, muitas vezes trazem uma mescla caótica de sensações. Há o constante senso de coisas acontecendo ao redor da sala, coisas tocando em você, às vezes intencionalmente ou acidentalmente. Não fica claro, por vezes, quais vozes e sons fazem parte da performance e quais são as contribuições da audiência. “Estou muito triste?” um ator diz. “Por que?” a menina que parece estar sentada na minha frente exclama, então se dá conta, para o outro ator da peça continuar, “Sim, por que?”.

Uma máquina muito afinada

“Isso tem muito a ver com o senso do tamanho da escuridão, e quando acontece, tiramos vantagem disso e adicionamos algo improvisado para a obra. Tudo que acontece na sala requer muitas pessoas que estão trabalhando permanentemente. Estão sempre trabalhando ao mesmo tempo. Enquanto um cena constitui de dois ou três atores, os demais estão fazendo os efeitos. Os atores aqui também são os técnicos, garçons e os geradores permanentes de sensações. É uma engrenagem muito afinada. Temos uma bagagem de efeitos muito grande e tudo acontece ao vivo”.

Um experiência única

Vamos ser claros: você não vai conseguir acompanhar muito da narrativa se o seu espanhol não for bom (envolve uma série de aventuras românticas, uma envolvendo um javali selvagem e outra em uma viagem engraçada ao Brasil), apesar que pode tornar a experiência ainda mais surreal, liderada por uma mistura de sensações construídas por diversos efeitos. Eu me encontrei viajando na hora da peça, por vezes distraído com outros pensamentos: qual é o layout da sala? Qual é a aparência das pessoas sentadas perto de mim? Sair depois de lá com todas as luzes dos bares de Palermo nos leva a refletir o quanto nós dependemos de nossos sensos.

Esta foi uma experiência que nós escolhemos participar; decidindo fazer sem um dos sensos em que normalmente nós dependemos, enquanto muitos que criam o trabalho, o fazem sem essa obrigação, mas a peça é divertida, leve; uma experiência positiva que levanta o astral de todos. “É uma experiência única. As pessoas se divertem e saem muito felizes,” afirma Estebán. “E nós também. Normalmente com o teatro, depois de fazer uma ou duas temporadas você já começa a colocar energia em outra obra nova, mas a maioria de nós estamos aqui há muito tempo e seguimos vindo com esta alegria e esta energia de sempre.”


Descubra mais sobre a gastronomia de Buenos Aires.