¿Qué requisitos de ingreso debés cumplir para poder visitarnos?

¿Cómo está funcionando la ciudad y cuáles son las actividades disponibles a partir de las medidas vigentes?

¿Qué hacer y dónde acudir si tenés síntomas o sos contacto estrecho?



Conheça o treinador que mantém a luta em seu clube
A paixão da vida inteira deste torcedor do Huracán faz parte do clube do bairro.

Paixão por seu esporte e paixão por seu time

Pablo Rodriguez tem sido um "hincha" - torcedor - do time de futebol Club Atlético Huracán a sua vida inteira. Então é uma alegria para ele fazer parte do clube de esporte que pertence, ensinando boxe na academia do mesmo, que faz parte da vida do bairro no Parque Patricios.

"O que é a mística do Huracán, no bairro é ainda mais forte," Pablo afirma, "assim que é um lugar muito especial para trabalhar, onde qualquer pessoa trabalha com muita paixão."

 

 

Parte da vida portenha

O nome da academia é Oscar "Ringo" Bonavena, em homenagem a um boxeador do clube que teve uma carreira de sucesso nos EUA nos anos 1960 e lutou com Muhammad Ali em 1970. Ringo continua sendo um ídolo no clube e inclusive tem uma estátua dele, que está permanentemente assistindo seu time nas arquibancadas do estádio de futebol. Pablo se sente em casa aqui porque este é justamente o tipo de lugar e ambiente em que ele cresceu.

"De pequeno, de curioso por experimentar os esportes," diz ele. "Meu pai trabalhava muito e me criei um pouco no clube e ia - tentei todos os esportes e aqui fiquei. Foi o que mais me prendeu."

Um lugar para todos

Rodriguez começou aqui como um treinador de boxe em 2009. Agora ele treina cerca de 200 pessoas, na qual 30 competem, trabalhando toda noite e coordenando competições nos finais de semana.

"Cada um tem uma etapa," ele afirma, "uma evolução. Há meninos que estão iniciando, que precisam de muita atenção, também para começar com o pé direito, digamos, e fazer a parte técnica da maneira mais prolixa possível para que depois seja mais fácil. E depois há meninos que já estão na competição amateur e meninos que estão profissionais, que já passaram 10 anos de treinamento e estão ali tentando fazer sua carreira profissional para poder ter uma recompensa econômica pela força que fizeram. Mas não fazem por gosto, mas sim por paixão. O boxe é um esporte que acaba com o marginal porque é uma briga legal, digamos, mas é uma espécie de desabafo e uma luta contra o destino em que todos são iguais e só ganha quem é melhor e ponto."

Mais do que somente um esporte

É comum os clubes de esportes tradicionais dos bairros de Buenos Aires serem conhecidos pela divisão de seu time de futebol, como é o caso do Huracán. Porém, oferece de tudo, desde ginástica e handebol para boxe para centenas de membros de diferentes idades e origens.

"É um centro de reunião de diferentes esportes," explica Pablo. "A parte social cresceu muito na sede. Um clube aberto foi gerado. O que eu mais gosto são duas partes: a parte técnica, o boxe mesmo como esporte e ensiná-lo e desenvolvê-lo da melhor maneira possível e, depois a parte social que é todo um mundo e me fascina. Cada menino é uma história, e cada história tem muitas coisas por trás: a família, seus sonhos. É um esporte que mescla muita gente até de distintas classes sociais e, gera um âmbito muito lindo em que, os que têm um pouco mais tentam ajudar o clube para que as pessoas que têm menos possam treinar e competir. Isto é o que mais me emociona."

Descubra a paixão do bairro por seu time. Visite o clássico estádio de Arte Deco do Huracán, Palacio Ducó, no Parque Patricios.


Em Buenos Aires, trabalho e paixão costumam ir juntos. Conheça outros ofícios portenhos